- publicidade -  

Cajamar vive hoje um de seus piores momentos. Tudo começou em 2016, quando a prefeita afastada Paula Ribas (PSB) e atual gestora interina Dalete Oliveira (PCdoB) prometeram resolver todas as questões e trazer de volta a dignidade para o povo cajamarense ganhando o pleito com quase 80% dos votos naquele ano.

Às vésperas das eleições haviam máquinas trabalhando por todo lado, asfalto de péssima qualidade onde mais de 180 vias foram recapeadas – resultando em ruas esburacadas -, obras que começaram e até hoje não foram terminadas e seguem abandonadas, além do mato alto por todo lado em Cajamar.

O estado de abandono em ruas e avenidas não era frequente antes da eleição. Paula Ribas venceu o pleito usando a máquina pública para seu benefício, enganou o povo cajamarense e o traiu abrindo mão do próprio respeito e da própria dignidade. O resultado foi a cassação em primeira e segunda instância.

Diversas obras estão abandonadas desde 2016 quando Paula Ribas assumiu a prefeitura. A gestão da vice-prefeita Dalete também não deu continuidade as obras: Construção da Creche e Pré-escola na Rua dos Jatobás e da Escola de Educação Infantil, na Rua das Alpinas, ambas no Portal dos Ipês III. Reforma e Ampliação da EMEB Rosa Helena Mota Marcondes Souza (Borelli), no Polvilho. Construção do Centro Dia do Idoso, na Rua Narciso, Portal dos Ipês III. Construção das Unidades Básicas de Saúde dos bairros Parque Maria Aparecida, Portal dos Ipês III e São Benedito, no km 43 da Via Anhanguera.

O mato alto segue sem capinagem. Leitores reclamam diariamente da dificuldade de andar pelas calçadas devido a altura do mato e que se arriscam a andar pelas ruas e avenidas da cidade. A Prefeitura não responde e-mails da nossa equipe de reportagem, se acovardando diante a real situação da cidade.

Podemos classificar a gestão “da Ribas” – que segue afastada do cargo por ser acusada de praticar 27 crimes na administração pública -, uma verdadeira vergonha e repleta de escândalos de corrupção, sendo investigada pelos principais órgãos estaduais e federais, como o Ministério Público, Procuradoria Geral da República e Polícia Federal.

São diversas as acusações de desvio do dinheiro público da Prefeitura de Cajamar, tirando verba da saúde até para pagamento de aluguel de igreja, isso mesmo que você leu, desvio de verba pública para pagamento de aluguel de igreja.

Parte do dinheiro desviado da saúde de Cajamar era para aluguel de igreja, diz MP-SP

Quase R$ 2 milhões desviados do Hospital Regional, segundo constatou as escutas telefônicas captadas durante investigação da Polícia Federal (PF) e Ministério Público.

Os investigados se apropriavam ilicitamente dos recursos que deveriam se destinar ao Hospital Municipal de Cajamar e, com este esquema criminoso, teriam desviado ao menos um milhão e oitocentos mil reais.

Prisões e mais prisões: Toninho Ribas, esposo de Paula, ficou preso por sete meses na Penitenciária Tremembé, denunciado pela pratica dos crimes previstos no artigo nº 288, artigo nº 333 e no artigo nº 328, por 27 vezes. Ele também responde por suposta entrega de cargos comissionados a vereadores e familiares, inauguração de obras inacabadas, favorecimento na presidência do Legislativo e pagamento de votos em troca de tratamentos dentários.

Enquanto a polícia trabalha investigando vereadores, prefeita e ex-prefeitos, uma nova eleição deve ser marcada em Cajamar. É importante a escolha de um candidato sério para que não haja situações similares de troca do chefe do executivo como aconteceu em 2017 e 2018. Escolha um prefeito sério e competente, que mostre a diferença.


COMENTE ABAIXO

Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.

- publicidade -