Acusada pela suposta prática de 27 crimes à frente do Executivo, a Prefeita de Cajamar, Paula Ribas (PSB), retirada de suas funções por ordem do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), segue recebendo salário pela função pública.

Afastada desde 24 de outubro de 2017 a pedido do Ministério Público (MP), Paula Ribas é denunciada pela pratica dos crimes previstos no artigo nº 288, artigo nº 333 e no artigo nº 328, por 27 vezes. O processo segue em segredo de justiça.

A prefeita em exercício, Dalete de Oliveira (PCdoB), também recebe o salário integral de R$ 25 mil. Com isto, os gastos com os salários de Paula Ribas e Dalete chegam a R$ 50 mil por mês. Cada um dos 15 vereadores recebe R$ 10,1 mil mensalmente.

Eleita com 65% dos votos nas eleições 2016, Paula decretou em julho de 2016 o aumento do seu salário para R$ 25 mil, R$ 3.368 a mais do que o governador de São Paulo Geraldo Alckimin (PSDB) que tem um vencimento mensal de R$ 21.631,05.

O salário da prefeita de Cajamar também ultrapassa os vencimentos do atual prefeito de São Paulo, João Dória Jr (PSDB), que recebe, atualmente, um salário de R$ 17.948,00 mensais e que ficou conhecido por doar seu salário a entidades assistenciais da Capital. A diferença do salário de Paula e João Dória chega a R$ 7.052,00.

O afastamento

A prefeita Paula Ribas está afastada do cargo por processo criminal a pedido do Ministério Público. Assim, a prefeita fica proibida de frequentar repartições públicas municipais até o desfecho das investigações que estão em segredo de justiça.


COMENTE ABAIXO

Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.