Representantes do Gabinete, a Vice-prefeita Dalete Oliveira, Polícia Militar, FACCAMP, Diretorias de Saúde, Serviços Públicos, Educação, Negócios Jurídicos, Planejamento, Habitação, Cultura e Esportes, Zoonoses, Vigilâncias Epidemiológica e Sanitária, Guarda Ambiental, Bombeiros e SUCEN participaram da 4ª Sala de Situação de Arboviroses, na Câmara Municipal, no início da segunda quinzena de agosto.

A cada Sala surgem novos participantes por isso as apresentações começam com o Relatório Geral de Atividades executadas desde o início do ano até o mês anterior à reunião.

O foco desta vez foram as medidas de prevenção com a intensificação das ações de Febre Amarela, apresentação das áreas mapeadas pela Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo para os municípios de Caieiras, Cajamar, Francisco Morato, Franco da Rocha e Mairiporã, incluindo nestas regiões barreiras e contenções para impedir a chegada da doença, por meio de vacinas em áreas verdes próximas a grande densidade populacional e também locais que não são totalmente mata nativa, mas que se situam próximos a corredores ecológicos.

A Prefeitura organizou um cronograma das áreas de vacinação realizadas por servidores da Rede Municipal de Saúde com o apoio de alunos e da Prof.ª Roseli da FACCAMP (Faculdade Campo Limpo).

Uma das propostas foi a criação de uma Brigada contra o Aedes aegypti, que já está presente no Estado de São Paulo, por meio do Decreto 62.130, de 2016, que visa a criação de equipes de trabalho em todos os órgãos e entidades da Administração Pública para vistoriar os prédios da Administração e eliminar os focos do mosquito, quando encontrados.

A Diretoria de Serviços Públicos apresentou um total de 2.578 notificações entregues a proprietários de imóveis com necessidade de limpeza do terreno, construção de muros e calçadas e 658 autos de infração, entre os meses de abril e julho, para aqueles que não realizaram o serviço.

“Os terrenos limpos farão muita diferença quando chegar o verão. Não queremos lembrar 2015”, enfatizou a enfermeira Fátima Espinoza.

Com relação às áreas comtempladas com a vacina o chefe do Departamento de Vigilância em Saúde, Marcos Bigardi explicou que a delimitação foi feita pela Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo.

As principais ações da Prefeitura no combate ao Aedes aegytpi, desde o início do ano foram a confecção de faixas e banners informativos, atividades lúdicas nas escolas, ações educativas com o Exército, palestras em igrejas, empresas e frigorífico e entrega de flyer (propaganda) nas Unidades de Saúde e nas ruas. O uso de camisetas identificando os agentes de saúde facilitou o trabalho. Outras ações estão previstas para os próximos meses.

Folhetos informativos sobre o Aedes aegytpi , Cidade Consciente e repelente contra o mosquito foram entregues aos presentes.

A vacinação é uma medida cautelar, realizada em dose única, para impedir a chegada do vírus e confere 95% de proteção a partir do 10º dia após a imunização.


COMENTE ABAIXO

Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.